2 de dez de 2015

Mais uma dose, por favor!

Toda vez que ela pedia mais uma dose sentada na mesa do bar e o engolia a seco, esperava que o amargo do álcool fizesse um efeito dourador, nem se fosse apenas por aquela noite, uma noite de puro prazer de se sentir azeda e amarga como o gosto de cada dose ingerida da bebida. Bebia para esquecer os problemas, a falta do amor que ela tanto sentia falta mas, não admitiria jamais estando no seu estado normal,  quanto mais ela bebia mais lúcida ela ficava não adiantava de nada, quando mais ela se enchia do álcool mais vazia se sentia. 
                  
                


Qualquer desculpa para mais uma dose, essa é por fulano, aquela é por ciclano, uma pelo ano que se encerra, outra pelo que se aproxima, aos novos amigos, futuros romances. Como se sentia sozinha, sua companhia eram suas músicas, e olhando para o lado todos estavam em suas rodas de amigos, alguns discutiam, outros riam, uns cantavam a música do ambiante, outros dançavam, tudo era festa.
Já ela estava acompanhada em uma roda dos amigos, não estava sozinha muito pelo contrário a mesa estava cheia. Mas, sozinha era como se sentia. Também dava risadas, cantava, conversa vai, conversa vem, a noite estava ótima.
- Me vê mais uma, ela dizia e queria estender a noite, algumas doses mais e já começava a se sentir um pouco tonta o efeito parecia ótimo e...
poderia ficar melhor, quem sabe nas próximas três ela já não teria coragem o suficiente para levantar da mesa e puxar o cara que ela estava paquerando a noite inteira para dançar, três rodadas mais se passaram e o único efeito que ela começou a sentir foi um sono incontrolável, porque a bebida nunca a deixava alegre muito pelo contrario enquanto o liquido ia de sua boca, percorrendo sua garganta e indo para o seu estômago o gosto ia do amargo para o azedo e a sensação era horrível, tanto a do álcool quanto a do buraco que se abria.

A vontade de se divertir era imensa porém sempre deixava de existir após umas doses que deveriam a animar, elas deveriam ajudar a preencher, só que a única coisa que a preenchia era a dor de cabeça, a náusea e a solidão que se instalavam quando ela colocava sua cabeça no travesseiro e se perguntava qual era o sentido daquilo. Como se as doses de tequila, as caipirinhas, algumas latas de cerveja fossem resolver os problemas que ela tinha que enfrentar, afinal não sabia o que queria realmente esquecer, os problemas dela tinham soluções, não era como se tudo estivesse perdido só ela que estava, e ela refletia que com tantos problemas maiores que os dela la fora, ficava insistindo que uma noite na gandaia ajudaria, os bares costumavam ser seus melhores amigos até que ela percebeu que o único lugar que aquilo tudo levaria se continuasse assim. Seria a um eterno esquecimento.



10 comentários:

  1. Oiiii
    Lindo seu blog!!!
    Adorei!!!!!!!!!!
    Post ótimo!!!
    bjs

    http://diariodalulu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito contente que você tenha gostado daqui, espero lhe ver mais vezes :*
      Muito obrigada de verdade!
      Xoxo.

      Excluir
  2. Ótimo texto, amei <3

    http://conversadecloset.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. HAHAHAHAHAHA, eba que bom <3
      Garçom, me vê mais duas ai por favor!

      Xoxo :*

      Excluir
  4. estou completamente apaixonada por este texto e por sua escrita <3 de verdade, sucesso ao blog

    http://poesiadescompassada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto muito desse texto, acho que ele é o meu xodó, hahahaha
      Muito muito obrigada, espero te ver mais vezes aqui :')
      Obrigada!!

      Xoxo :*

      Excluir
  5. Um minuto para se recompor... Estou chorando!
    Esse texto foi um tapa enorme na minha cara. Afinal, já fui e sou essa garota que tenta preencher o vazio com a bebida. No momento é maravilhoso, me sinto leve e tudo parece ter menos importância do que deveria. Mas na manhã seguinte... Ou até mesmo quando volto pra casa. Quando o efeito do álcool sai do meu corpo, me sinto mais vazia do que estava antes. E é um ciclo sem fim... A gente bebe pra esquecer, mas os problemas continuaram lá quando voltar pra casa. Certas coisas nem a bebida ajuda, nem uma noite de gandaia. O que ajuda mesmo é tomarmos atitude e tentar resolver nosso problemas, para de joga-los por debaixo do tapete e agir como se não existissem. Eles existem! E precisamos resolve-los, antes que eles nos resolvam.

    Um grande abraço de urso, Mioliveers. (adoro cada vez mais seu blog)

    http://traficodeconselhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo perfeitamente, ainda mais porque bebida alcoólica tem um gosto tão maravilhoso. Quanto mais a gente beber melhor vai ficando, eu nunca fui de beber para vomitar e essas coisas, mas já fui o tipo de garota que achava que as pessoas só iam gostar de mim se eu fosse como elas, saísse para encher a cara, como se aquilo fosse diversão, de principio até é divertido, funciona, você esquece o que quer esquecer naquele momento porem, com o tempo você vai ver que claro, não toda mas, a maioria das pessoas apenas estão com você na hora da diversão, e que os problemas continuam lá, como você mesma mencionou, um conselho que eu posso te dar:
      Você não precisa parar de beber mas, tenha consciência do seu limite, você vai perceber assim como eu que você aproveita bem mais o momento quando esta sóbria, e que problemas todos nos temos e que por mais que demore um pouco, e por pior que seja eles iram se resolver, você é inteligente o suficiente a ponto de parar. Se esta demais, faça uma promessa fique uns tempos sem beber nada alcoólico, eu fiz isso fiquei uns 5 meses sem beber, quando voltei, não consigo mais sentir o cheiro de vodka que meu estomago embrulha, você vai ver que seus problemas foram resolvidos sem a bebida, e que você sabe até onde é o seu limite!
      Xoxo :*

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo