9 de abr de 2016

Vamos conversar?



Vem aqui, puxe a cadeira, sente-se ao meu lado, relaxe os ombros, respire com calma, e me diga no que você tanto pensa. Por quê você não consegue relaxar?, a vida foi tão dolorosa assim a ponto desta armadura impenetrável que você usa? Não pense mais nisso, você deveria falar sobre o que tanto te incomoda e depois deixar o passado para trás, e observar o tanto de coisas boas que estão a sua espera se você se permitir.


Vamos lá, você pode confiar em mim, vamos ser amigos, pode contar os seus planos para o futuro, me conte também sobre o seu passado, se eu começar falando sobre os meus medos, meus micos, os meus tropeços você compartilha os seus comigo? É que eu também tenho uma armadura para me proteger, e precisava que alguém puxasse uma cadeira e me convidasse para sentar. Então, já que olhando para os lados encontrei você, resolvi vir perguntar, se você não gostaria de ir dar uma volta comigo? Gostaria de te mostrar o meu esconderijo.

Alias, você gosta de café? Confesso que ficaria muito contente se você, rindo comigo admitisse que é um amante dos livros e não vive sem um bom café preto. Mas, eu não iria me importar se você me contasse que prefere os filmes aos livros, e que uma cerveja bem gelada cairia melhor. Eu poderia mostrar para você o meu mundo, e você poderia me mostrar o seu.

Mas, para isso, precisaríamos retirar nossas armaduras e nos vestirmos de nos mesmos, sem maquiagem, sem disfarce, só eu, e você. Eu sei, eu sei, é tão difícil nesse mundo ser você por inteiro com alguém, mas se eu te disser que gostaria de me despir mostrando a ti toda a minha alma, você se dispiria mostrando a sua?

8 comentários:

  1. Nossa que texto lindo, amo esses tipos de post's!!!
    Ah e a resposta é sim, sem armaduras...
    Bjos linda :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, muito obrigada <3
      Sim, é preciso saber a hora de dar uma chance para alguém, e tirar as armaduras. As vezes a gente quebra a cara as vezes a gente junta as peças!
      Xoxo :*

      Excluir
  2. Que texto lindo! Muito bom para refletir, a gente vive cheio de armaduras e máscaras para esconder a nossa dor, mas acabamos escondendo a nós mesmos..
    JuliethSilva.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei pensando muito quando li esse seu comentário, a gente precisa aprender a esconder as dores e não a gente. Muito boa reflexão a sua, e alias obrigada. Espero te ver mais vezes por aqui!
      Xoxo :*

      Excluir
  3. Ai meu Deus!!!!!

    Tenho duas coisas para falar sobre esse texto...

    Primeiro: está tão lindo Belinha. Mas nunca te imaginei falando sobre compartilhar seus segredos com alguém. Uma surpresa pra mim.

    Segundo: Pensei em duas pessoas enquanto eu lia, uma é da nossa sala. hahaha E a outra, o meu grande amor. Achei a cara dele, de verdade. Quem sabe um dia eu não tenha a oportunidade de mostrar seu texto pra ele e depois ficar discutindo sobre? hahaha

    Adorei o texto Belinha, mesmo mesmo! <3

    http://seismilmilhas.com/
    http://facebook.com/seismilmilhas
    https://www.youtube.com/c/seismilmilhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amorzinho, hahahahaha
      Bom, primeiro: pois é de vez em quando da aquelas loucuras e ai me pego tendo essas vontades loucas de querer compartilhar segredos, hahaha mas logo volto ao normal.

      E segundo: Quando eu fui reler o texto de novo, após finalizado eu também lembrei dessa pessoa da nossa sala, me ajudou para arrumar algumas coisas, e bom sobre a outra pessoa que te lembrou, tem bastante sentido também. Acharia uma ideia magnifica, você pode gravar a discussão para me mostrar depois para eu poder, fazer uma continuação do meu texto, que tal?

      Muito obrigada amorzinho <3
      Xoxo :*

      Excluir
  4. Magnífico, palavras simples, porém proporciona uma reflexão íntima excepcional!❤❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wow, muito obrigada de verdade <3
      Fico contente que tenha gostado!
      Xoxo :*

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo