11 de jul de 2016

Resenha: Deixe a neve cair.

Particularmente nunca fui muito fã de John Green, já havia lido alguns dos seus livros como: Cidade de papel, A culpa é das estrelas e O teorema de Katherine. Bom, acho que a maioria já deve ter lido algum de seus livros ou pelo menos, A culpa é da estrela, do qual confesso que a história é realmente muito emocionante, só que suas história nunca me prenderam de verdade ao ponto de devorar seus livros em uma semana, porem tem um livro dele em particular que eu ganhei  a um tempo atrás contando 3 histórias, do qual eu realmente fiquei encantada afinal gosto muito de como de algum jeito as histórias se entrelaçam e de como ninguém acaba morrendo.



Resenha:
Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio romântico, do tipo que se vê apenas em filmes. Bem, mais ou menos. Porque ficar presa á noite dentro de um trem retido pela nevasca no meio do nada, apostar corrida com os amigos no frio congelante até a lanchonete mais próxima ou lidar sozinha com a tristeza da perda do namorado ideal não seriam momentos considerados românticos para quem espera encontrar o verdadeiro amor.
Neste livro John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.


Cada uma dos três contos possui um protagonista diferente.


O expresso de Jubilei. - Maureen Johnson.

Jubileu que estava a espera dos pais em casa enquanto eles haviam saído para comprar uma peça da coleção deles da, Cidade do Papai Noel Flobie, quando ela recebe um telefonema informando que seus pais foram presos por causa de uma confusão na loja, e então Jubileu precisa pegar o próximo trem para ir até a casa de sua avó para passar o natal por lá. Porem, com uma forte nevasca que acabou chegando a cidade, surgiram alguns problemas com o trem que para de funcionar, e fica estacionado em frente a Waffle House. Jubileu no começo precisa aguentar um grupo chato de líderes de torcida mas, tudo muda quando ela conhece Stuart que a convida para ir até a sua casa, do qual ele mora com a mãe e a irmã mais nova.

Jubileu aceita e vai, porem ela acaba se sentindo culpada por passar a noite na casa de Stuart, já que a mesma tem um namorado mas, que outra alternativa ela teria? voltar para o trem e passar seu natal por lá? Ao longo do dia ela vai percebendo quantas coisas tem em comum com Stuart, um garoto totalmente diferente do seu namorado.



O milagre da torcida de Natal. - John Green.

Conta sobre três amigos, que no meio da maratona de filmes decidem ir até a Waffle House, após a ligação de um amigo pedindo para levar um  twister para as líderes de torcidas que estão presas lá jogarem com eles, então JP, Duke e Tobin começam a  correr contra o tempo para ver se chegam primeiro que um outro grupo que também foi convidado, ou seja, quem chegar primeiro ganha e fica por lá com as líderes de torcida.
No começo eles estão em vantagem até que o carro decide fica preso em um monte de neve e eles ainda estão um pouco longe do seu destino.
Será que eles vão conseguir chegar primeiro? Pode parecer um pouco impossível, até mesmo porque eles vão passar por algumas "frias".



O Santo Padroeiro dos Porcos. - Lauren Myracle.

Particularmente este dos três é o meu conto favorito, acho que um dos motivos é que quando li estava passando por uma coisa parecida, além de que ele se passa na starbucks , o que tem um certo contexto para mim, foi um momento de nostalgia, vamos dizer assim.

Ele conta a história de Addie, que após terminar o seu relacionamento, e ligar para seu ex pedindo para encontra-lá no seu local de trabalho - na starbucks, e ele não aparecer, Addie tem um momento de desespero e corta seu cabelo e o pinta de rosa, após perceber que fez a maior besteira vai para casa e na manhã de natal pede para suas amigas irem até lá a ajudarem a passar por isso.
Porem, ela e as amigas acabam brigando pelo motivo de que Addie só pensa em si mesma,e então o que era para ajudar, acaba só piorando as coisas e a situação acaba ficando um pouco mais desesperadora do que ela imaginava.

Quando li fiquei encantada com os contos que nele eram narrados, me prendeu e lembro que o devorei em uma semana, tirando que as histórias conseguem ter um pouco de romantismo, algumas partes engraçadas, brigas, e reconciliações, e em cada uma acaba ensinando alguma lição.
E essa é a minha primeira recomendação, á partir desta semana toda segunda-feira durante ás próximas 5 semanas estarei postando a indicação de um livro para ler nessas férias.

Espero que tenha gostado.

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Amei o post, sua escrita está adorável, embora eu não queira mais ler o livro, não sabia que eram contos, fiquei triste agora, gosto de praticamente todos os livros do Green mas sinceramente não esperava dele um conto... Beijos *-*
    Jardim de Palavras
    Vintage Feelings

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo bem sim, e com você?
      Muito obrigada <3
      Eu particularmente gosto muito de contos, eu entendo mas, acho que também as vezes a gente tem que dar oportunidade e sair um pouco do que estamos acostumados a ler. Acho que vale a pena tentar!
      Xoxo :*

      Excluir
  2. lindo blog :) sucessos
    http://aspoesiasdananda.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto bastante de contos e esse livro me chamou atenção por isso mesmo. É e fato não parece tão romântico mas pelo que nos contou dá pra sentir para o que encaminha as histórias. Tenho muita vontade de ler <3 suas fotinhas ficaram lindas, adorei o Olaf hehehe
    dezoitoemponto.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Samira, fico feliz de vê-lá de novo por aqui *-*
      Eu gosto também por causa de ser contos e de não ser tão romântico tenho certeza que você vai adorar, depois vem me contar o que achou ok?
      Xoxo :*

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo