12 de abr de 2017

# Não seja um porque



Todo mundo precisa ter alguém que possa confiar para conversar, não da para se viver sozinho, você pode negar o quanto quiser que não gosta das pessoas, que não gosta de carinho, mas não se engane, não procure motivos para ser solitário(a), por mais que pareça que não existem pessoas dispostas a ajudar os outros, por mais que todo mundo olhando ao redor pareça chato, metido, egoísta ou seja lá o que você acha do outro, se você não der uma oportunidade para as pessoas te mostrarem de verdade quem são você nunca vai saber.

Quando não gostamos muito de alguém, temos a mania de soltar um "o santo não bateu", tudo bem, não há nenhum problema em tentar se aproximar de alguém e não conseguir levar adiante, mas não precisa sair por ai dando motivos para os outros do porque você não gosta da pessoa, deixe que elas descubram se o santo bate ou não com o da pessoa sozinhas.


Sim, temos a mania de excluir pessoas, de falar mal delas, e é algo que está muito presente no nosso dia a dia, mesmo sem termos motivos para aquilo, é a criação, talvez a cultura, ou a ruindade que tem dentro da gente, só que podemos não perceber o quanto isso pode prejudicar o outro. Dizer que o outro se faz de coitado, que não é forte o bastante, você o comparar dizendo que outras pessoas já sofreram mais é a maior burrice que se pode dizer a alguém quando a pessoa decide desabafar com você, e eu aprendi da forma mais difícil isso, cada um reage da sua maneira aos acontecimentos da vida.

Ninguém deve achar que é mais fraco que o outro, que tem gente passando por coisas piores, se sentir perdedor por desistir de algo e muito menos se sentir sozinho sem ninguém, sempre vai ter alguém, sempre vão existir milhares de motivos para continuar lutando, acreditando, tentando, mas se olhar para os lado e não encontrar nada, não fique sozinho, converse com alguém, escreva, desabafe e por mais que seja fácil falar e difícil fazer, pegue o papel e a caneta e escreva motivos pelo qual vale a pena continuar. 



Após ter assistido, 13 reasos why, durante os últimos dias li comentários do quanto a série é ótima por abordar um tema no qual tem um tabu tão grande dentro da sociedade e que de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. 800 mil pessoas se matam todos os anos no mundo, também assisti vídeos com muitas criticas no qual pessoas que já tentaram o ato dizerem que assistir trouxe a elas sensações horríveis e que não recomendam pessoas que já pensaram ou tentaram tirar a própria vida assistirem. 

Para quem não sabe a série aborda sobre uma adolescente Hannah Barker que se suicida deixando 7 fitas com 13 motivos pela qual cometeu o ato de tirar a própria vida, ela se incia com o personagem Clay Jesen recebendo essas fitas e se surpreendendo com o conteúdo dentro conforme as escuta.

Não posso falar pelas pessoas que já pensaram nessa possibilidade, fui sim uma adolescente que sofreu muito bullying na adolescência, nunca fui considerada a menina mais popular da escola, não fui convidada pra ser uma das pussycats dolls na sexta série onde todas as meninas da sala faziam parte, quando mudei de escola na oitava série era considerada a menina mais esquisita da escola toda e só tinha uma amiga pois as pessoas me achavam emo e com o gosto diferenciado demais para falarem comigo. Mas sempre ia correndo pros braços da minha mãe, ela era a pessoa no qual contava tudo sem vergonha alguma pois ela nunca ia me julgar.

Então sempre escutei quando ela dizia para não ligar, ignorar, e que deveria ser eu mesma e que encontraria pessoas que me aceitariam do jeito que sou, dito e feito, não que eu ignorava o que as pessoas falavam e que não guardava as coisas pra mim, tinha um diário também no qual desabafava horrores, acho que foi o que me ajudou muito. Talvez os pais não entendam, mas os amigos podem entender, os primos, tios, avós, sempre há alguém disposto a ajudar, por isso nessas horas nunca é bom guardar tudo, pois sufoca e não é pouco.

Não vou dizer que nunca fui só a vitima, e não vou dizer que foi intencional, muitas vezes só uma brincadeira que fiz pode ter magoado, é inevitável, porém, 13 reasons why, me deixou muito pensativa sobre esse assunto, na minha opinião a série ter abordado essa tema não é válido apenas para adolescentes, todos os adultos deveriam assistir e tentar entender, ainda mais porque já passou por essa fase. A série possui cenas muito fortes, não consegui ver a personagem Hannah se suicidando, e me deixou extremamente emotiva por dias assistir uma pessoa se sentir tão vazia ao ponto de querer tirar a própria vida.

Mas o pior de tudo foi ver, Hannah tentar de todas as formas se aproximar de alguém e pedir ajuda e não conseguir, em observar as pessoas não conseguirem ajuda-lá, o que as vezes não é por mal, as vezes não tem problema você não saber como agir, só que nunca dar as costas para o outro e fingir que nada aconteceu.



Li, que a série foi romantizada, não vi por esse lado,enxerguei em Clay um dos 13 motivos, como alguém que queria amar só não sabia como, e ensinar a lição de que por mais que o NÃO a gente já tenha sempre existe a possibilidade do SIM, falar para alguém que o ama é a maior esperança que se pode dar, então se permitir sentir, amar, demonstrar e dizer é importante.

Não sei se a série foi radical demais, se só assim para as pessoas se colocarem no lugar do outro, entretanto só as discussões e ver que segundo o CVV (Centro de valorização a vida) que possui atendimento 24h, entre os dias 1º que foi lançada a série no netflix ao dia 10º dia foram recebidos 1.840 e-mails, sendo que no mês anterior  na mesma época foram recebidos 635 e-mails,  já são avanços, por mais pequeno que pareça. Procure ajuda, a série veio com boas intenções.




Fontes:
Folha de São Paulo
Crônicas do agora
Procure ajuda:
CVV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo