Resenha: Extraordinário




Sinopse:


Auggie Pullman (Jacob Tremblay) é um garoto que nasceu com uma deformação facial, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas. Aos 10 anos, ele pela primeira vez frequentará uma escola regular, como qualquer outra criança. Lá, precisa lidar com a sensação constante de ser sempre observado e avaliado por todos à sua volta.



Sobre o filme: 


Duração: 114 minutos
Elenco: Jacob Tremblay, Julia Roberts, Owen Wilson
Diretor: Stephen Chbosky
Gênero: Drama
Distribuidora: Paris Filmes



O filme começa introduzindo o personagens Auggie Pullman que nasceu com deformação no rosto e precisou até os seus 10 anos passar por 27 cirurgias, não apenas para melhorar a sua aparência, mas para poder respirar, enxergar e viver melhor.

A história se baseia em sua ida pela primeira vez a escola já que Auggie estudava em casa com a sua mãe Isabel Pullman. Auggie como toda criança quando chega em uma escola nova se sente com medo ainda mais por precisar fazer novas amizades, porém não era apenas esta razão que fazia Auggie sentir medo, mas pelo fato de que as crianças sempre fugiam dele quando viam seu rosto, não dando a oportunidade de conhecer um garoto normal como qualquer outro, deste modo ele só sai de casa se fosse com o seu capacete de astronauta.

Antes de começar as aulas o diretor Sr. Tushman, pede para três dos melhores alunos, Jack Will, Julian e Charlotte mostrarem a escola para Auggie. Como no livro o filme também introduz um pouquinho sobre Jack Will que vira amigo de  Pullman. Auggie sofre muito no começo não pelos olhares curiosos das crianças, mas pelo que dizem e agem a respeito da sua deformação.

Auggie tem uma irmã mais velha a Via Pullman, qua na sua festa de quatro anos faz um pedido para ter um irmão, eles são bem grudados, mas Via se sente bastante sozinha pois apesar de ser compreensiva e entender que o irmão preciso dos pais, entra bastante em conflito por ter que se virar na maioria das vezes sozinha, mas a união dos irmãos os ajudam a passar pelas coisas juntos.



O que eu achei:


Que a história nos dá uma lição de empatia sem igual, toca bastante a parte emocional, é impossível não se emocionar do começo ao fim, porque você se coloca no lugar do Auggie pois não precisamos nascer com nenhuma deformação para sofrermos na mão de pessoas preconceituosas ou que simplesmente tem o prazer de agredir seja fisicamente ou verbalmente todo aquele que é diferente de alguma forma.

Crianças as vezes sabem ser bem maldosas e que quando se trata de bullying nesta etapa da vida geralmente elas fazem o que presenciam em casa, tanto que Julian um dos meninos que mais maltrata Auggie entra em conflito com as suas atitudes, mas depois entendemos o porque delas. O que é algo bem interessante e no qual me faz recomendar que os pais levem e assistam o filme junto com os filhos e reflitam um pouco sobre comentários e atitudes que tem na frente deles.

O filme é bem fiel ao livro e é todo extraordinário igual ao nome, o final é simplesmente lindo e emocionante, não só eu, mas a maioria da galera saiu da sessão emocionada e contando que chorou em algumas partes do filme, que além de contar com essa super história, possui um elenco admirável, uma direção excelente, um cenário super legal.

Foi meu último filme no cinema do ano e se você também está pensando ir no cinema por esses dias, coloquei ele na sua lista de opções, pois você não irá se arrepender.



Preceitos extraordinários:


  • "Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.";
  • "Toda pessoa deve ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nos vencemos o mundo.";
  • "Eu gostaria que todos os dias fossem halloween. Poderíamos ficar mascarados o tempo todo. Então andaríamos por ai e conheceríamos as pessoas antes de saber como elas são sem a máscara.";
  • "Todo mundo que você encontra na vida está enfrentando uma batalha que você não sabe nada a respeito. Seja gentil com todo mundo. Sempre!".

You May Also Like

0 Comments